sábado, 15 de dezembro de 2012

Everything Has Changed - Capítulo 69


Capítulo 69

-Bom dia, família – Nick disse animado chegando na cozinha, deu um tapinha amigável nas costas de seu pai, um beijo em sua mãe – fala, pequeno – bagunçou o cabelo de Frankie e se sentou.
-Que felicidade é essa? – Denise perguntou.
-Tô com ideias para a gravação hoje – mentiu – cadê o Joe? Ele não pode faltar hoje.
-Já conversei com ele – Paul disse sério – ele não vai faltar.
-Ótimo – Nick respondeu um pouco irritado.
-Falando de mim, família? – Joe apareceu todo descabelado na cozinha.
-Vai colocar uma camisa – Denise mandou e ele bufou, voltou para vestir a camisa e desceu de novo – agora pode sentar pra tomar café.
-Obrigado – ele ironizou e se sentou – a gente vai ficar o dia todo na gravadora hoje?
-Claro, né – Nick respondeu – você faltou aquele dia.
-Ótimo – Joe deu um sorriso.
-Nem pense nisso – Nick respondeu com raiva – você não vai chegar perto dela, ouviu.
-É? Por que? Você vai tentar conquistá-la agora? – Joe quase gritava.
Nick deu um sorriso sarcástico, pegou uma maçã e se levantou, se virou quando estava na porta e voltou a ficar sério:
-Quem sabe.
Joe trincou a mandíbula com raiva, pensou em ir atrás de Nick mas desistiu, ele reconquistaria Demi com ou sem a concorrência do seu irmão.
Eles foram para a gravadora em carros separados, passaram todo o tempo falando somente o necessário um com o outro, até que Kevin se irritou.
-As damas vão continuar com isso? – ele perguntou irritado – vocês podem se odiar mas a gente tá aqui pelas fãs, a gente precisa fazer isso bem feito, e pra ficar bem feito é preciso uma comunicação entre a gente.
-Desculpa – Nick sussurrou.
-É, foi mal – Joe disse envergonhado.
-Vamos dar uma pausa, depois do almoço vamos fazer direito – Kevin desligou o amplificador e colocou a guitarra no canto – eu vou almoçar com a Dani, devo demorar um pouco.
-Tudo bem, eu vou comer por aqui mesmo – Joe disse.
-É, eu também – Nick sorriu sozinho.
-Então até – Kevin saiu do estúdio e Nick saiu logo em seguida.
-Nick – Joe chamou e foi até o corredor encontrá-lo – foi mal, cara, eu não quero esse clima entre a gente.
-Tudo bem – Nick respondeu sorrindo – eu também não quero – eles se abraçaram.
-Ei – uma voz rouca chamou a atenção deles – oi, Joseph – Demi sorriu gentilmente – e Jerry, você marcou de almoçar comigo, eu to morrendo de fome.
-Me perdoe, madame – Nick sorriu abertamente – vamos – ele estendeu a mão para Demi.
-Vamos – ela sorriu também e eles entraram no elevador juntos.
Joe engoliu o nó em sua garganta, como ele queria abraçá-la, dizer que não está mais namorando e que ainda a amava, ela estava tão linda, radiante, o sorriso dela era responsável por trazê-lo sensações que ele nunca iria se acostumar, mas não era pra ele que ela sorria, isso fez seu estado piorar, mas ele tirou forças para ir à cantina almoçar.
-Como ele tá? – Demi perguntou enquanto escolhia o que iria comer.
-Mal, muito mal – Nick respondeu sem se importar.
-E você fala isso assim?
-Ué, Demi – ele arrumou o que iria comer e esperou ela se decidir – ele que procurou isso.
-Eu sei – ela pegou sua comida e eles foram até a mesa mais afastada – mas ele é seu irmão, Nick, você devia ajudar ele a sair dessa.
-Eu vou falar com ele – Nick sorriu – e você, como você tá?
-Eu to bem – ela respirou fundo – por incrível que pareça – eles riram – e você, com a Miley e tal…
-Tudo certo, por incrível que pareça – ele imitou a voz dela e eles riram – eu sinto falta dos nossos piqueniques no quintal, dos banhos de piscina com o Frankie de madrugada e de te acordar pulando na sua cama.
-Eu não sinto falta da ultima coisa – Demi torceu o nariz.
-Poxa, eu aqui todo romântico.
-Muito romântico me esmagar quase toda manhã – ela rolou os olhos.
-Tá, isso pode não ser romântico – ele se corrigiu – mas admite que você ama quando eu te jogo na piscina, quando eu sujo seu cabelo com chocolate em pó, quando eu levo brigadeiro queimado pra você na cama e quando eu quase ponho fogo na cozinha tentando fazer pipoca de micro-ondas.
-Realmente, é difícil resistir quando você faz essas coisas – ela debochou.
-Eu sei, eu sou super romântico - Nick se gabou – imagina que perfeito se a gente casasse.
Ele falou sem pensar, mas quando se deu conta do que havia falado abaixou a cabeça, ele tinha medo de estragar a amizade deles, queria ir com calma, mas foi natural, tudo entre eles era natural, Demi levantou o rosto dele delicadamente.
-Acho que só daria certo se você não chegasse perto da cozinha.
Nick sorriu aliviado quando viu o sorriso dela, mas voltou a ficar sério de repente quando viu Joe se aproximar.
-Posso me sentar com vocês? – ele perguntou, Demi se virou repentinamente pra ele.
-Claro que n… – Nick tentou dizer mas Demi o interrompeu.
-Pode.
Nick a repreendeu com o olhar e ela pediu desculpas, tudo que ela queria era amenizar o clima entre eles, sorriu sem jeito e foi para o lado de Nick, deixando o lugar dela para Joe.
-Obrigado – ele agradeceu com um sorriso fraco.
-Então, voltando – Nick disse e Demi se assustou, ele não podia voltar com aquele papo – eu prometo ficar longe da cozinha quando a gente se casar.
-Vocês vão se casar, é? – Joe perguntou enciumado e com um tom possessivo que não agradou em nada a Demi.
-Só depois que eu fizer um curso rápido para bombeiros – Demi brincou e Nick gargalhou – por isso estamos apenas noivos.
-Entendi, felicidades – Joe sorriu cínico.
-Obrigado – Nick respondeu segurando o riso – sério agora, Demi, quando a gente vai marcar nosso piquenique?
-Não sei, preciso ver se tenho tempo – ela jogou o cabelo.
-Precisa arrumar tempo pra mim, Demetria? – ele fez um bico.
-Se continuar me chamando de Demetria eu não arrumo tempo nenhum – Demi fez cara feia.
-Ah, e você pode me chamar de Jerry?
-Eu tenho moral – Demi jogou o cabelo convencida.
-E eu não tenho moral pra ter um mísero tempinho na sua lotada agenda de pop star? – Nick perguntou, Joe assistia a tudo irritado.
-Espera – ela olhou pra ele e começou a rir – sua boca ta suja – pegou um guardanapo e se aproximou do rosto dele para limpar – pronto – levantou o olhar e encontrou o dele, intenso e verdadeiro – você sempre vai ter moral comigo, Nicholas, sempre.
Eles foram se aproximando mais e bem lentamente, o coração de ambos batia acelerado, tudo parecia sincronizado, mas na verdade, eles nunca pensaram que isso aconteceria um dia, mas resolveram se entregar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário