domingo, 25 de novembro de 2012

Everything Has Changed - Capítulo 41


Capítulo 41

-Demi – Nick disse baixo, ele passou todo o caminho pensando em falar com a amiga que estava tão abatida do lado dele, ela levantou o olhar para encontrar o dele por alguns segundos, lágrimas brotaram de novo os olhos dela e ela voltou a encarar o chão para não chorar novamente – quando for a hora vocês vão ficar juntos – Nick estacionou o carro no portão da casa de Miley e como combinado deu um toque para o celular dela pra ela abrir o portão, desceu do carro e deu a volta abrindo a porta para Demi, parou em frente a garota e a abraçou – divirta-se hoje, ele vai ficar bem, vocês se amam, você não vê, eu fiquei uns cinco anos sem a Miley e olha agora, as coisas acontecem no tempo certo.
-Olha agora? – Demi encarou o amigo confusa, Nick soltou uma respiração pesada e o portão se abriu.
-HEY, LINDOS – Miley gritou, ela tinha um sorriso imenso no rosto, trajava um short curto e uma camiseta social larga e comprida, Nick soltou Demi e virou para Miley que correu e pulou no colo dele selando seus lábios.
-Perdi muita coisa, hein – Demi interrompeu o beijo com uma sobrancelha arqueada.
-Demi, você estava chorando? – Miley ignorou a pergunta da amiga, saltou do colo de Nick e correu até ela.
-Ta tudo bem – Demi forçou um sorriso e pegou duas malas – te espero lá dentro – ela sorriu um pouco mais forte para Nick parabenizando-o por ter se acertado com Miley e entrou na mansão.
-Droga – Nick suspirou – cuida dela, ok? Ela precisa de você agora, a Demi tem a péssima mania de se passar de forte e guardar tudo.
-Ela É forte – Miley observou.
-Eu sei, mas ela precisa dividir as coisas, Miley, ela precisa da gente, eu já falei com ela, e sei que você pode fazer melhor.
-Pode deixar, eu vou conversar com ela – Miley sorriu fraco e o abraçou – você vai encontrar a gente no aeroporto amanhã?
-Não sei – os olhos de Nick se encheram de lágrimas – não sei se eu consigo.
-Tudo bem – Miley fez um carinho no rosto dele – eu vou entrar – ele concordou com a cabeça – eu te amo, viu.
-Eu também te amo – eles se beijaram mais uma vez e Nick entrou no carro.
Miley entrou lentamente em casa, ela pensava no que falar pra Demi, ou melhor, ela pensava em como fazer Demi se abrir, desabafar, ela foi direto para o seu quarto, a porta estava aberta e a menina estava sentada na cama com o colar que havia ganhado de Nick nas mãos.
-Demi – Miley chamou baixo e a menina levantou o olhar para ela – você quer conversar? – Demi negou com a cabeça, Miley se aproximou e fez um gesto para que ela deitasse em seu colo – agora não, ok.
Longos minutos se passaram, Demi apenas chorava enquanto Miley fazia carinho na cabeça dela, Miley ainda não sabia o que fazer pra Demi se abrir, mas a menina a surpreendeu fazendo isso naturalmente.
-Eu o amo tanto, Miley – ela começou conseguindo conter um pouco as lagrimas – quer dizer, eu amo todos vocês, mas eu tenho uma família, eu tenho uma irmã que precisa de mim, eu tenho outra vida lá, eu não posso simplesmente deixa-los, eu pensei que seria mais fácil, eu nunca iria imaginar que eu ia me apegar tanto assim, se alguém me dissesse que eu iria me apaixonar pelo Joe Jonas, e ele por mim eu iria rir, se me dissessem que meu melhor amigo seria o Nick e que você se tornaria uma quase irmã eu iria mandar internar a pessoa em um hospício – ela riu sem humor – agora eu me vejo deixando todos vocês, todos que eu já amo, ta doendo tanto, a minha vida inteira foi assim, despedidas, deixando pra trás pessoas que realmente fazem a diferença pra mim – ela se levantou se sentando de frente para a amiga enquanto enxugava uma lágrima que teimava em escapar – eu não aguento isso, e se a gente nunca mais se ver? Nunca mais se falar, e se ele não quiser mais saber de mim?
-Demi, isso não vai acontecer – Miley a repreendeu séria – o Joe te ama, de verdade, eu o conheço há anos, e, se ele cometer essa burrada, eu e o Nick estaremos aqui, e eu posso dizer com toda certeza que será pra sempre, você se tornou a amiga que eu sempre sonhei em ter, a única que não se aproximou de mim por eu ser a “Miley Cyrus”, você não tem noção do efeito que causa nas pessoas, não é?! – Demi encarou a amiga confusa – você cativa as pessoas facilmente, Demi, só sorrir e pronto, até o presidente faria qualquer coisa por você – elas sorriram – é por isso que a gente confiou tanto em você, é por isso que a musica te escolheu, e quando você se abrir pra isso, minha filha, ninguém te segura.
-Você acha?
-Eu tenho certeza – Miley respondeu sorrindo – e eu conheço bem desse meio, escreve o que eu to te dizendo, você vai voltar e vai estourar aqui, e quando você experimentar a sensação de uma multidão cantando aquela musica que você escreveu sem a mínima pretensão de fazer sucesso, aquela que você escreveu enquanto chorava no seu quarto por um babaca qualquer, ou aquela que você escreveu enquanto viajava com alguns amigos, você não vai querer outra coisa, a musica te chama, Demi, e quando é assim, não tem jeito.
-Vamos ver então – Demi estreitou os olhos e elas riram – já me sinto bem melhor, obrigada.
-Obrigada nada – Miley disse séria – quero brigadeiro.
-Vamos pra cozinha então – Demi sorriu de verdade pela primeira vez naquele dia e se levantou puxando a amiga pelo braço, ela correram até a cozinha e Demi logo começou a preparar o brigadeiro enquanto Miley raspava a latinha de leite condensado – e você e o Nick, hein?
-Ah, nem deu tempo de te contar – Miley deu de ombros ainda entretida demais com a latinha – a gente tá namorando.
-E VOCÊ ME FALA ISSO ASSIM? – Demi gritou surpresa – MILEY – ela exclamou com o mesmo tom e a amiga a encarou – que? Quero detalhes.
-Bom, ele me trouxe naquele dia do jantar e a gente discutiu pra saber que musica ouviríamos – Demi revirou os olhos e sorriu da infantilidade deles – daí, de implicância, eu peguei meu iPod e comecei a gritar uma musica qualquer, ele se irritou, se aproximou de mim pra tirar meu fone e a gente se beijou – Demi arregalou os olhos e abriu a boca – VAI QUEIMAR ESSA DROGA, PRESTA A ATENÇÃO, DEMETRIA – Miley gargalhou e Demi se desculpou voltando a mexer o brigadeiro fazendo um sinal para a amiga continuar – enfim, daí ele começou a agir como se nada tivesse acontecido, e eu fiquei brava, desci do carro sem me despedir direito só que me dei conta de que tinha perdido a chave do portão, ele voltou pra me entregar a chave dizendo que ela tava caída no chão do carro, me disse coisas lindas, me beijou e me pediu em namoro.
-AWN, MIIIIIIIIIIIIIIIIILEY – Demi fez uma voz dengosa – que lindos vocês. Meu Deus, que confusão vai ser quando a mídia souber disso.
-Nem lembra.
-Tá pronto – Miley correu até o prato – tá quente, menina, calma.
-To com saudades do Nick – Miley fez um bico e Demi a encarou incrédula.
-Tá zoando, né? – Demi debochou – você quer que eu aguente firme longe do menino que eu amo sendo que eu vou estar no Brasil e ele aqui, você mora a uma hora do seu e tá com saudades, por favor, né, Miley.
-Ele é lindo demais, ele é fofo e romântico e…
-Em cinco minutos vocês estão se estapeando – Demi a interrompeu.
-Fazer o que, a gente não tem nada a ver um com outro.
-Acredite, eu sei como é – Demi sorriu pegando um copo d’água.
-Não, esse não é o seu caso, você e o Joseph brigam porque vocês são exatamente iguais, e eu e o Nick, completamente diferentes.
-Pode ser – Demi concordou – não sei como vai ser sem ele – lágrimas se formaram nos olhos dela de novo.
-AH NÃO – Miley gritou – pega esse brigadeiro e eu vou pegar as outras coisas, vamos para o meu quarto, a gente precisa de um bom filme de terror, uma dose de karaokê e horas de papo extremamente feministas.
-Me parece ótimo – Demi sorriu e elas subiram para o quarto de Miley, que estava empolgada por fazer as ultimas horas da amiga ali no país as melhores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário